10/09/2013

Escola de Frankfurt

Instituto para Pesquisa Social - Foi fundado na Universidade de Frankfurt em 22 de junho de 1924. Tornou-se um anexo daquela Universidade, ligado ao Ministério da Educação alemão.

A fundação deve-se a Felix Weil, um jovem intelectual marxista, à custa do dinheiro do seu pai, Herman Weil, um rico negociante judeu.

Os intelectuais frankfurtianos eram marxistas saídos do partido (para credibilizar!), maioritariamente judeus.

Entre 1930 e 1950, os frankfurtianos tentaram adaptar a suposta «metodologia científica do marxismo» (Carl Grünberg) a todas as áreas das ciências sociais, considerando o marxismo como ciência e não como partido político!!

Com a chegada do Nacional-Socialismo de Hitler ao poder, os «idiotas úteis» frankfurtianos tiveram de abandonar a Alemanha, em 1933. Fugiram para Genebra, Paris, Nova Iorque e Hollywood.

Poucos voltaram para a Alemanha, depois de 20 anos de exílio (Horkheimer, Adorno e Pollock).

Amargurado com as ideias que tinha proclamado antes, Horkheimer acabou por renegá-las.

Ideias principais da Escola de Frankurt

  • Fusão das ideias de Karl Marx e Sigmund Freud, e por vezes de Heidegger e Nietzsche - marxismo com psicanálise e existencialismo.
    • A ideia de que não se deve reprimir os instintos na infância, senão as pessoas ficam frustradas e tornam-se «fascistas» no futuro!
    • Liberalização sexual.
  • Contestação de toda a autoridade.
  • Crítica tanto do capitalismo como do socialismo soviético.
  • «Teoria crítica» da sociedade e da cultura ocidental.
  • Posição muito pessimista sobre o desempenho da razão e sobre a evolução tecnológica.

Principais intelectuais da Escola de Frankfurt e respetivas obras

Max Horkheimer - Estudos em filosofia e ciências sociais, O colapso da razão, Dialética do Iluminismo, Teoria crítica, Estudos social-filosóficos.

Theodor W. Adorno - Dialética do Iluminismo, A personalidade autoritária, Dialética negativa, Minima moralia.

Herbert Marcuse - Razão e revolução: Hegel e a ascensão da teoria social, Eros e civilização, O marxismo soviético, O homem unidimensional, O fim da utopia.

Walter Benjamin - Quadro parisiense, A obra de arte na época da sua reprodução mecanizada, Iluminações.

Ernst Bloch - O espírito da utopia.

Franz Borkenau - O declínio da imagem feudal à imagem burguesa, O rinhadeiro e hol, O fim e o começo: sobre as gerações das culturas e origens do Ocidente.

Erich Fromm - A evolução do dogma de Cristo, O medo à liberdade, O Homem por ele mesmo, Psicanálise e religião, A revolução da esperança, A crise da psicanálise: ensaio sem Freud, Marx e a psicologia social.

Henryk Grossmann - Acumulação - a lei do colapso do sistema capitalista.

Franz Neumann - Behemoth: a estrutura e a prática do nacional-socialismo, O estado democrático e o autoritário.

Siegfried Krakauer - Os empregados na nova Alemanha, De Caligari a Hitler.

Otto Kirchheimer - Punição e estrutura social.

Friedrich Pollock - A experiência da planificação económica na União Soviética, As consequências económicas e sociais da automação.

Wilhelm Reich - Análise do Caráter, Psicologia de massas do fascismo.

Karl August Wittfogel - O despotismo oriental.

Felix Weil - Socialização, O enigma argentino.


Sem comentários:

Publicar um comentário