20/10/2013

Objetivos

Objetivos

Um pouco por todo o lado, muito se ouve falar mal da situação política, económica e social.

A maior parte das vezes, atribuímos as culpas a dirigentes políticos. Como é habitual, mandamos sempre as culpas para os outros. «A culpa morreu solteira.» Esquecemo-nos, porém, de que somos nós que escolhemos os políticos que comandam os nossos destinos terrenos.

Como podemos nós fazer as melhores escolhas, sem termos um conhecimento minimamente sólido de ciência política, filosofia, ideologias, estratégias, economia, sociologia, história, etc.?

Ainda assim, qualquer um julga ser muito entendido em assuntos políticos! Também não falta quem vote pelos mais variados motivos, por mais surrealistas que sejam.

Habitualmente, preferimos não levar em conta a gravidade desta situação! Com o nosso voto, podemos, inclusivamente, fazer que algum novo grande tirano chegue ao poder, como já aconteceu no passado!

Ao menos, deveríamos lembrar-nos de que não temos o direito de impor as nossas preferências pessoais às outras pessoas. Mas com que critérios devemos fazer as nossas escolhas? Como podemos saber escolher da maneira mais justa possível, usando um critério de verdade?

Impõe-se, portanto, que não sejamos irresponsáveis e que procuremos entender quais são os pilares da sociedade, para que os possamos segurar. Não esteja a nossa ignorância a dar o último empurrão para que a sociedade caia no abismo!

Não resolvemos nada em ficarmos deprimidos com certos acontecimentos! Em vez disso, apostemos, urgentemente, numa séria formação ideológica. Tentemos compreender as causas do que está errado na sociedade e façamos a nossa parte para o corrigir. Ao menos, façamos chegar esse conhecimento ao maior número possível de pessoas.


Sem comentários:

Publicar um comentário